Cururueiros

Adoração, fé, alegria, ritmo e cachaça. privilegiando esses elementos, a ideia principal desse projeto é lançar um olhar sobre a manifestação cultural do Cururu Mato-grossense explorando o transe vivido pelos seus participantes, os senhores cururueiros. Presente nos municípios da baixada Cuiabana (Rosário Oeste, Poconé, Barão de melgaço, Cuiabá, Várzea Grande, Santo Antônio, além de diversas comunidades rurais, em especial as quilombolas), o Cururu é, mais do que um ritmo musical que integra os festejos de Santo, um ritual em que os cururueiros cantam, tocam a viola de cocho, bebem cachaça, rezam e adoram suas divindades. A cadencia constante da viola e dos cantos, aliada ao consumo de cachaça (pura, com raízes, ou em licores) reúne os cururueiros, em geral senhores de idade avançada, ao pé do altar em um transe coletivo que pode durar horas. Ao redor dos cururueiros os festeiros se aglomeram para ouvir suas músicas e adorarem os santos.

29102016_Santos_Baixada_Juvencio_Foto-LuzoReis_34

29102016_Santos_Baixada_Juvencio_Foto-LuzoReis_52

29102016_Santos_Baixada_Juvencio_Foto-LuzoReis_108

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Baixio_2016

Cururueiros, 2016

Cururueiros, 2016

Cururueiros, 2016

Cururueiros, 2016

Cururueiros, 2016

Cururueiros, 2016

Cururueiros, 2016

Cururueiros, 2016

© Luzo Reis Fotografia.